DE QUEM É A PRAÇA?

O último final de semana, a Praça Amador Simões foi palco de atrações que agradaram, e muito, os brotenses.

Sempre defendi a realização de eventos deste gênero, porque eles temo poder de manter, ou resgatar a auto estima dos cidadãos.

Isso porque, a indústria do Turismo (e tenho escrito exaustivamente sobre isso), trouxe muitos benefícios para Brotas, especialmente possibilidades de emprego e renda.

Mas não é menos verdade que muitas críticas foram lançadas, no sentido de que não há ações públicas de lazer, voltadas para o morador brotense.

E, também por razões culturais, as famílias de Brotas possuem hábitos típicos de uma cidade “deliciosa” do interior, como é a nossa.

E, toda cidade que quer manter o seu charme, precisa “acender as luzes de suas praças”.

Isso se traduz em vida, diversão e renda. São infinitas possibilidades, quando se tem uma olhar para o lazer do cidadão.

Afinal, as empresas de turismo, indistintamente, possuem uma grande estrutura receptiva, e isso foi conquistado com muito trabalho e persistência dos empresários do setor.

Mas, com um evento como o ocorrido na Praça Amador Simões, se dá o primeiro passo para criar uma estrutura de diversão, visando primeiramente agradar e atender ao morador de Brotas.

Além do mais, quando o Poder Público se empenha nesta direção, incentiva, na prática, os artesãos de Brotas que há tantos anos trabalham e lutam por esta oportunidade.

E os nossos artesãos, da mesma forma que nossos empresários, sempre fizeram por merecer este espaço.

Talvez a única questão polêmica, seja a parte musical, que implica em sons e ruídos, o que pode gerar o descontentamento de quem mora e vive no entorno da praça.

Mas, a exemplo do que acontece em muitos municípios turísticos, e Poços de Caldas é um bom exemplo, as atrações musicais podem ocorrer no período da manhã, tarde e início da noite.

Eles planejam muitos eventos em finais de semana, feriados e férias. É um calendário que atende os moradores e os visitantes.

Por isso, nas campanhas eleitorais que participei, sempre defendi eventos desta natureza.

Até com mais ousadia, pois acredito que no caso de nossa Cidade, precisamos planejar esses shows, exposições e vendas de artesanato também nas Praças Bela Vista, na Praça do Jardim Modelo, no Bairro do Patrimônio e Broa.

São regiões que já possuem espaço para tal organização.

Essa atitude, com certeza, terápoder de desfazer esta péssima imagem (com razão) que tem os moradores nos bairros, de que tudo o que acontece em Brotas, acontece apenas em função do Turismo.

E, esses atrativos agradam todos os gostos e idade.

Afinal, a praça é nossa!!!!

Fernanda Ragassi