Nove anos ao lado da informação e transparência

É com muito orgulho que o Jornal Ideias completa em 2019 nove anos valorizando a informação, a cultura e, principalmente, o povo batalhador do interior paulista, que assim como toda população brasileira enfrenta dificuldades devido aos problemas sociais que aparecem diariamente na rotina. E quem pode ajudar a dar voz para quem sofre com estas adversidades do cotidiano? Claro, a imprensa e o jornalismo.

Acreditamos firmemente que a imprensa tem o papel de fiscalizadora da gestão pública, seja na divulgação de notícias positivas ou negativas. O importante é sempre lutar pela transparência de forma independente, respeitando todos os lados e visões de determinados fatos. Valorizamos a pluralidade e a ética, pois são pilares base para democracia.

Ao longo destes nove anos cometemos erros e acertos. Acompanhamos mudanças em várias áreas, principalmente na comunicação. Estivemos presentes em coberturas memoráveis dentro da nossa região. Adotamos um tom mais crítico quando preciso, sem partirmos para o sensacionalismo ou populismo. Aliás, tentamos ser populares sem ser populistas quando mergulhamos em temas da gestão pública que mexem com a vida do cidadão. Buscamos por meio de diálogo observar as ações na gestão dos municípios para fazer o povo se conscientizar a respeito da administração de recursos em todos os poderes.

Cada vez mais nos orgulhamos por pertencermos ao jornalismo, sempre colocando a credibilidade acima de tudo. Atualmente fazer parte da imprensa é um desafio gigante em meio a um Brasil que vem se perdendo com discussões polarizadas, vazio de ideias, falta de representatividade e descrédito em relação às instituições. Estes fatores favorecem o nascimento e desenvolvimento de um ambiente de ódio e desconfiança e, consequentemente, o jornalismo acaba sendo o alvo atingido pelo clima de histeria coletiva.

É desafiador questionar os políticos e buscar a apuração dos fatos de maneira sensata em uma sociedade que cresce a influência, disseminação e consumo de informações falsas sensacionalistas. Pior ainda é o ponto negativo das redes sociais: os seres humanos estão ficando fechados em bolhas onde podem acessar a todo momento “notícias” e “opiniões” baseadas em discursos emocionais que dizem somente aquilo que eles querem ouvir, ou seja, ficam com a mente fechada para o diferente e, infelizmente, jornalistas profissionais são atingidos pela crítica mais destrutiva do que construtiva. Por isso respeitamos a pluralidade entre profissionais, sejam eles parceiros ou concorrentes.

Falando em liberdade de expressão, cidadania, democracia e inclusão, não tem como esquecermos que neste mês é comemorado o “Dia Internacional da Mulher”. As mulheres vêm conquistando o seu espaço em todas as áreas, principalmente no jornalismo. O respeito com o público feminino deve existir não apenas no “Dia Internacional da Mulher”, mas todos os dias por meio de atitudes no nosso cotidiano e profissionais da imprensa devem se opor ao máximo a qualquer tipo de violência contra elas.

Vida longa ao jornalismo, ao Ideias e a todas as mulheres do Brasil!